GOSOTSA - O Sol tá Maior III


Bem mais do que um grupo musical que executa um som pesado aliado a outros estilos diversos, o GOSOTSA é um trio não somente original, mas também ousado e criativo. Em seu universo não somente a música tem espaço. Há lugar para as manifestações artísticas distintas: artes plásticas, literatura, poesia, artes cênicas e muita performance. É uma espécie de vulcão das artes em completa erupção.

“O Sol tá Maior III” foi lançado em 2018 e conta com 7 composições que totalizam pouco mais de 20 minutos de audição. São músicas, em geral curtas, mas impactantes. Encontramos peso, uma sonoridade diferenciada, letras em português, uma voz marcante e um visual provocante, chamativo e bastante característico. Definitivamente o grupo não passa despercebido.

Fãs do Rock, de maneira geral, irão apreciar a obra. Chamou muito a atenção o trabalho da bateria que deu um peso e ritmo bastante vibrantes às melodias, mas a cozinha instrumental, como um todo, é digna de respeito: riffs fortes, solos alucinantes, baixo marcando bem. E não há uma preocupação em soar harmônico ou produzir rimas ou refrãos pegajosos. Bem pelo contrário. Em alguns momentos soa estranho, incomoda e pode até ser perturbador.

Vocalizações marcantes? Sim, mas também diferentes. O timbre de voz do Drannath é muito bom, porém mais que isso, ele usa recursos como risadas nervosas, meio debochadas e que podem beirar a insanidade. É algo provocativo e possui doses de acidez. É o universo Gosotseano ganhando volume, forma e contexto dentro da música. E vem para clamar revolução.

Há faixas que chamam mais atenção. São elas: “Caminhão de Salto Alto”, a mais longa e a mais pesada da obra, cujo início me lembrou um pouco o MÖTLEY CRÜE, mas logo isso se desfez por conta das características bem específicas do GOSOTSA; a ótima “Fungus Mudus”; “Peito Aberto, Absorto” é uma composição desvairada, entorpecente e encerra o trabalho com chave de ouro.

O resultado final é satisfatório, ainda que a sonoridade seja bastante distinta do que comumente ouvimos. Essa é a proposta. Trazer algo novo, diferente, não se prender a determinados rótulos e nem seguir regras, estereótipos ou modelos. E isso o GOSOTSA consegui fazer com êxito. Pode até ser que o caro ouvinte não aprecie o trampo, mas indiscutivelmente o trio consegue se destacar e se diferenciar no universo musical. Há duas opções: ame ou odeie. Experimente e avalie.

Nota – 8

Banda: GOSOTSA
País de Origem: Brasil
Título do álbum: O Sol tá Maior III
Ano: 2018
Estilo: Rock
Gravadora: Independente

Line-up:

Drannath – Vocal/Baixo/Piano
Élitra – Bateria
Malu Gubolin – Guitarra

Faixas:

1. Caminhão de Salto Alto
2. Que Babe
3. Fungus Mudus
4. Meio Vazio
5. O Sol tá Maior
6. Tocar de Luas
7. Peito Aberto, Absorto

Sites:






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MIRZA

Maledettos